Deu na telha - Sobre apegos e desapegos

posted on 0 comentários
Cada produto na sua coleção tem sua história. Eles dificilmente são isolados. Você só de olhar para cada um deles consegue se lembrar a ocasião no qual o adquiriu, aonde o adquiriu... Os valores você geralmente só se lembra dos mais caros, ou que você conseguiu por uma pechincha, os demais é difícil lembrar, mas a história inicial deles você quase sempre se lembra, isso é um fato! Às vezes a história de um toy está diretamente ligada a uma história da sua vida, às vezes você lutou tanto para conseguir aquela peça... Às vezes foi paixão a primeira vista... Enfim. Sua coleção inteira é feita de todo e cada item que a ela pertence. Uns um pouco mais, outros um pouco menos, outros MUITO mais, mas o fato é que você se apega a todos eles. Alguns você considera a hipótese de revender ou trocar, outros de maneira alguma. Mas como é lidar com esse desapego quando você precisa vender?? Eis aí uma experiência a qual eu nunca tinha vivenciado até semana passada!

Antes de colecionar Pokémon e toys em um geral eu era Melisseira. Pelo menos é como o fandom de Melissa (sim! Marca de calçados tem fandom) era chamado até então. Na verdade, eu conciliava as Melissas com os Yoshi, mas isso é outra história! O fato é que colecionar calçados é bem mais complicado do que colecionar toys, porque você só os expõe todos de uma vez nas fotografias, mas principalmente, há um cuidado e manutenção muito maiores, visto que calçados não dependem só do seu cuidado! Eles têm atrito com o chão, buracos, pedras, outras pessoas que passam por você, chicletes no chão e outros. E ao contrário dos brinquedos, calçados têm prazo de validade! Prazo de validade este que interfere diretamente naquela brincadeirinha da rarificação, lembram?? Nesse caso, por maior que seja o cuidado que você tenha, só vai retardar a perda total do calçado, mas não vai evitá-la. Em caso de calçados também não existe o mito do "produto lacrado", porque a cola resseca após uns três anos sem uso e você pode perder um calçado que nunca usou! Com muito esforço e planejamento consegui algumas pérolas do mundo "melissístico", aqueles itens raros de colecionador que depois de SEIS MESES valiam o dobro do valor, mas eu jamais as venderia, porque foram difíceis de conseguir e eu tinha um carinho imenso por elas...


...mas eu queria um 3Ds do Yoshi. Topo na minha Wishlist há uns dois anos pelo menos. Nunca deu certo. Eu mesma falava tanto que um dia o teria e sempre alguma coisa atrapalhava, que nem eu mais estava acreditando. Daí eis que passei meu mês de maio inteiro com um pensamento fixo em mente: "Esse mês meu 3Ds do Yoshi sai. Desse mês não passa". Mas com tantas pré-vendas, inclusive o S.H. Figuarts do próprio Yoshi por vir, e com um Platinum e um Heart Gold surgindo por preços imperdíveis, as economias dedicadas a ele se foram, e o sonho seria adiado novamente... Mas aí eu pensei, por que não?

O que nos leva a abrir mão de algo que a gente gosta podem ser vários fatores: necessidade de um dinheiro de emergência, doença na família, reparos na casa, etc. No meu caso específico com as Melissas:
- Algumas foram presentes de ex (E como INFELIZMENTE matar o ex-namorado misógino e abusivo é crime, matar as lembranças é um favor)
- Algumas me machucavam... muito! (E sim, é uma coisa comum de ensinarem para mulher que ela tem que estar bonita na roupa e não confortável)
- Algumas são uma moeda de troca/revenda excelentes - visto que elas simplesmente não existem mais no mercado
- Depois que eu aderi ao feminismo, passei a rever minhas prioridades. E ao se tratar de vestimenta, conforto e liberdade de movimento falam mais alto que qualquer outra coisa. Isso exclui todos os saltos que eu tenha.
- Liberar espaço no armário pras caixas de figuart e Monster High porque está tudo socado em um canto e tá feio

Daí eu pensei em vender três delas, mas uma só resolveu meu problema! É essa da foto, a Lady Dragon Vivienne Westwood wave 1. E vou confessar que mesmo com tudo isto em mente, eu ainda estava relutante em vendê-la, daí aquela estratégia básica: coloque-a a venda, mas por um valor bem abusivo. Ninguém vai comprar e você terá tempo de conseguir o dinheiro por outros meios e tirá-la da venda. O "problema" é que mesmo por um valor abusivo eu vendi a tal sandália em menos de 24 horas!! E a moça usou Mercado Pago e pagou no ato!

Meio triste por me desapegar da minha Melissa mais rara, nunca usada em perfeito estado de conservação, mas feliz pela mocinha que a comprou e também feliz por realizar meu sonho "Yoshístico". A Melissa chegou para ela e o 3Ds para mim no mesmo dia, e olha como ele é lindo!!

O fato é que eu posso fazer uma lista gigante aqui dos itens da minha coleção que venderia por nada deste mundo, mas é uma afirmação muito delicada de se fazer. Abrir mão de algumas coisas para que outras venham faz parte de nossas vidas, praticar o desapego é necessário.
E sim, o item nº1 da minha lista de desejos foi alcançado! Agora é conseguir o resto com calma!


Title: Deu na telha - Sobre apegos e desapegos
Rating: 10 out of 10 based on 24 ratings. 5 user reviews.
Writed by ALly DizZzy -Aline Lly