Vamos falar sobre - Nove Razões porque Pokémon é uma franquia que toda garota deveria conhecer

posted on 1 comentários


ATENÇÃO: Post com alto teor feminista e empoderador. Se você é homem e o sofrimento duzomi for demais, pode parar de ler por aqui! ^^

ATENÇÃO²: Como a ideia é falar sobre Pokémon com garotas que nunca jogaram na vida, vou tentar usar o mínimo de termos em inglês possível, mas farei uma tradução bem mais coesa que a Panini com o mangá, prometo! ^^

Hoje é dia internacional da Mulher, e estamos aqui na luta! Realmente estamos, porque ser mulher e viver nesse mundo misógino nosso não é tarefa fácil! E claro, como feminista que sou, e como alguém que ama escrever, poderia escrever um texto gigantesco sobre a data, desde seu contexto histórico até os dias atuais e porque essa data merecia ser comemorada ao contrário do dia do homem que é uma babaquice sem tamanho, não dessa forma tosca como a mídia impõe, mas como um dia
de luta (e de resistência a uns recortes específicos), mas já há vários textos muito bons sobre isto posso indicar essas leituras se alguma de vocês se interessar. Mas eu, como feminista, alguém que ama escrever e fã de Pokémon que sou, prefiro escrever um texto grande sobre o porquê de eu amar esta franquia observando-a como uma mulher, e como me chateia que Pokémon seja apreciado por um público feminino tão pequeno.

O público-alvo primário de Pokémon é o infantil. Os jogos e os mangás caíram bem no gosto de seu público-alvo secundário, os adultos (pais de crianças ou não). Muitas "crianças de 20 anos atrás" estão entre os adultos que ainda jogam e consomem produtos (e eu como jogadora e colecionadora me encontro nessa fatia do bolo), mas enfim, faixa etária a parte, Pokémon é dedicado a humanos, sem descrição de gênero. Em outras palavras, nunca foi dito que Pokémon era exclusivo para meninos/homens, por mais que na cabeça de muito machinho por aí, se menina gosta de Pokémon ela é ""attwhore"", indiscutivelmente. Mas infelizmente por algum motivo nós garotas somamos menos de 20% do fandom da franquia. E é uma franquia interessante, que tem vários motivos para que meninas e mulheres a adorem, que poderia ter grupos específicos de garotas jogando, mas por algum motivo, não há!
E aqui está a pequena lista do Miss Says Hi com motivos para você mulher chamar sua amiga, prima, irmã, filha, etc para conhecer a franquia, jogar e se apaixonar! Então vamos lá!!

1 - Não há  muito sexismo em Pokémon

Na história de Pokémon, no aniversário de dez anos da criança, ela já está apta para ir ao Laboratório Pokémon de sua região, escolher seu inicial e partir em uma jornada, seja ela um menino ou menina ou até mesmo Genderfluid, só pra deixar o Prof. Oak doidão. Da mesma forma que, evoluindo em seus conhecimentos e jornadas, pode se tornar campeã de sua região, estrela de concursos (contest), estrela de cinema (Unova), enfrentar as Battle Frontier, Maison, Subway... enfim. As opções são várias. Da mesma forma que existem Líderes de Ginásio de ambos os gêneros, Membros de Elite 4 e claro, campeões! Em seis gerações, de oito campeões (Não conto o Red como campeão) só três são mulheres, mas as três vieram praticamente seguidas, o que é bem interessante. Esse mesmo não-sexismo se estende para os anime e mangá! Em momento algum na franquia você verá alguém diminuir uma personagem mulher pelo motivo de ela ser mulher. O que um homem/menino pode, a mulher/menina também pode, eles deixam isto bastante claro!
Então por que "quase", tia Miss? Porque a mãe do personagem ainda é a dona de casa! Em seis gerações ainda não houve uma em que o pai cuida da casa e a mãe vai viver a vida. Em Hoenn o pai de seu personagem é um Gym Leader, inclusive! A única mãe que teve uma história legal é a mãe de Serena/Calem em X/Y, que era campeã de corrida de Rhyhorn, mas mesmo assim enquanto solteira. Depois do nascimento da filha ou filho ela começa a liderar corrida de fogão enquanto seu companheiro dorme na garagem! No geral sempre o pai sumiu no mundo para fazer algo mais interessante, e a mãe fica solitária cuidando da casa e esperando o resto da família voltar. E sim, ainda espero ver mãe Gym Leader e pai fazendo a janta nas próximas gerações!

2 - Realmente não há rótulos sexistas

Quando pessoas avulsas da rotina dos jogadores de Pokémon imaginam garotas jogando é sempre com uma equipe só de Pokémon "fofinhos" e, de preferência, cor de rosa. Mas o fato é que isso é uma bobagem, e tanto as fãs em campeonatos quanto as próprias personagens da franquia estão pouco se importando com isso!! Cynthia tem um Garchomp, Iris tem um Haxorus, Lenora tem um Stoutland (Ela tem bom gosto! <3), Clair tem uma Kingdra, Whitney tem uma Miltank e todas elas são maravilhosas igualmente!! Assim como Wallace tem Luvdisc e Milotic, Lance tem três Dragonites, Cheren tem um Cinccino e também são maravilhosos! No competitivo é a mesma coisa! Um dos melhores Líderes de Ginásio de ligas online que conheço comanda vários ginásios Fairy (fada), assim como vejo meninas mandarem muito bem com Pokémon do tipo Fighting (lutador)! Claro que no nosso mundo as coisas não funcionam tão bem como no modo história (até porque teve muito machinho que se recusou a comprar o Pokémon X no lançamento porque o Xerneas era um "viado"), mas o mero fato de ver que algumas pessoas preferem ver os stats, habilidade, e moveset à cor do Pokémon, já é uma luz no final do túnel!

Da mesma forma como o gender rate (cálculo de probabilidade de gênero de um pokémon) é algo que varia bastante dentro do jogo e que muitas vezes contraria fãs "conservadores". Em outras palavras, SIM, está tendo Gardevoir, Gothitelle, Lopunny, Delphox, Wigglytuff, Sylveon e Wigglytuff machos!! SIM, tá tendo Machamp, Scrafty e Conkeldurr fêmeas!
E sabe aquele mimimi ridículo de muito machinho fã da série pelo fato de a porcentagem de gênero do Sylveon ser 88% macho e 12% fêmea, como TODAS as demais evoluções do Eevee sempre foram? Por quê mesmo? Porque ele é ROSA e tem lacinhos, né?! Aliás, cheguei a ler comentários dizendo que só Sylveon shiny (azul) servia para ser macho... (Pausa para se manisfestar sobre o quão ridículo foi o comentário e o quão babaca o dono dele foi) Pois é. Pelo que parece a Game Freak tá pouco se importando com esse reclame sobre porcentagem de gênero nas espécies!!

3 - Ser mulher em Pokémon é NADA degradante


Artista: inTAResting
Tampouco se vestir como uma, coisa que James adora fazer no anime!! O próprio Ash já se vestiu de mulher três vezes ao longo da série e em uma delas, "vestiu o Pikachu" de fêmea (colou um coração na pontinha do rabo). O interessante é que quando são descobertos, nunca há piadinhas diminuindo o personagem por ele se vestir de mulher, eles vão direto ao ponto do motivo que o levou a fazê-lo. Parece idiota, né? Mas vamos voltar a nosso mundo em que rótulos sexistas são mais grudentos que papel pega rato e que em algumas famílias o filho homem é espancado por parecer/agir como mulher e vice-versa... Sei que homem se vestir de mulher é algo problemático que envolve várias questões, mas enfatizando que eles vivem em um mundo fictício aonde o privilégio masculino não é tão grande quanto em nosso mundo real, e este tópico é principalmente para ressaltar como eles descartaram 80% do sexismo no enredo das histórias.


Aliás, vale lembrar que o episódio da primeira temporada em que James aparece com seios grandes foi censurado nos EUA (e como o Brasil recebia a versão norte americana para exibir, foi censurado aqui também). Alegaram pornografia, mas duvido que a censura aconteceria se os seios gigantes estivessem em uma mulher.

4 - Você é bem-vinda(o). Seja como for!

Kalos foi uma das regiões mais sem graça de todas lançadas até agora. Mas algo nela é bastante interessante: os NPC's (Personagens não-jogáveis). Por que, Miss? Por suas falas!
Em Lumiose, no Cafe Classe (aquele que fica ao lado da Boutique de Lumiose) Essa Beauty lhe diz o seguinte:


Tradução: "Você pode estar na moda, não importa o tipo de corpo que você tenha. Então eu aproveito os dois: moda e alimentação".

Há também um restaurante em Lumiose (não lembro qual e estou com preguiça de caçar! Depois edito a postagem) aonde um casal homossexual diz que há nada de errado que eles saiam para jantar juntos.
E por fim, a mais polêmica e bem interessante: Há uma mulher trans na Battle Maison! Os treinadores que você enfrenta na Battle Maison são aleatórios, então há uma chance de vocês encontrá-los. Bom, essa é a citação da moça:

Créditos: Pixelitis

Tradução: "Sim, há meros seis meses atrás eu era um Black Belt! Foi A transformação, você não acha?"

Para você que chegou agora, um Black Belt é esse tipo de carinha aqui:
Créditos: Kotaku

Se você pesquisar no Google vai encontrar vários sites dizendo que foi um equívoco de tradução da versão japonesa, que o equivalente a Black Belt no Japão era "Karate King", que vale tanto para homem quanto para mulher. Mas essa é a tradução da
menção japonesa: "I was a Karate King just half a year ago; the power of medical science is awesome, wouldn't you say"?

Tradução: "Eu era um Karate King há até uns seis meses atrás; o poder da medicina é incrível, você não acha"?

E a mocinha Karate King é essa aqui:

Créditos: Kotaku
Moral da história: Não é necessária intervenção médica para tingir os cabelos e trocar de roupa, então... Sim, ela é uma mulher trans!
Enfim, os últimos jogos de Pokémon têm aberto portas para todas nós, independente de como você seja!

5 - Todas são lindas! Todas são poderosas!

Por mais que predominem mocinhas brancas e magras, elas não são unanimidade entre as garotas de Pokémon. Assim como a Beauty que aprecia comer e andar na moda, há outras personagens gordas, assim como há mulheres altas, baixas, crianças, adultas, idosas, maquiadas, sem maquiagem, cabelo longo, médio, curto, bem curto... Em seis gerações, várias meninas e mulheres já passaram por Pokémon. Com pelo menos uma delas você vai se identificar.

6 - Nem hipersexualizadas, nem princesinhas indefesas. MULHERES!

Eu nasci no final da década de 1980; meu primeiro videogame foi um Atari. Muito antes de Pokémon existir eu já jogava videogames. Sempre nintendista, por sinal. Eu amava Mario, mas odiava o fato de a Peach (a "princesinha", como eu a chamava) ficar escondida e aparecer só no final. Aí meu irmão comprou o Super Mario Bros 2, no qual eu poderia jogar com a Peach, e foi aí que a frustração aumentou, porque mesmo com quatro anos de idade, eu já havia notado e me irritava o fato de a única mulher ser lenta e fraca a ponto de não ser possível jogar com ela (ela era a que mais demorava a puxar o rabanete da terra, eu nunca esqueci isto) "Ah, Miss! Mas ela voava com a saia..." Sim, ela voava, por que será? Porque ELA É MAGRA!!! Sim, é uma alusão a magreza, ou vocês acham que se ela fosse gorda ela voaria? De quem era o pulo mais curto mesmo? Do Mario, né?! Mesmo nos primeiros Mario Kart era difícil jogar com a Peach, e eu sempre optava pelo Yoshi. Mas enfim... Mudando de franquia agora, uma coisa que é bem comum entre os novatos é confundir obra e personagem e chamar o Link de Zelda; "o Zelda", quem nunca ouviu?? Inocência pura? Sim e não! O jogo leva o nome da princesa Zelda. O jogo leva este nome, que pela lógica deveria ser o nome da protagonista... Protagonismo esse que o Link levou da Zelda e, para alguns avulsos, leva o nome também. Agora o que a Zelda e a Peach têm em comum? São princesas que em algum momento colocam a defesa de si mesmas e de seu reino nas mãos de um macho. Aí você questiona uma coisa dessas e ouve de volta um "mas estes jogos foram feitos para homem, né"?! Engraçado, nas caixas dos jogos só vejo a faixa etária mesmo, nenhum alerta de que só macho pode gostar e jogar, mas OK...
Aí por outro lado, são comuns personagens de jogos heroínas, guerreiras, fortes e independentes; em jogos de luta até dando uma surra em homem, legal. Legal, até você ver o vestuário das mesmas... São corpos que desafiam a lei da gravidade, são roup... se aquilo puder ser chamado de roupa, que cobrem quase nada e que na vida real são impraticáveis. E as garotas que gostam desses jogos e personagens, e optam por fazer cosplay de uma delas são terrivelmente assediadas, coisa que vamos
abordar futuramente.

Agora voltando ao objeto da postagem, Pokémon parece encontrar o eixo, e as garotas são realmente muito parecidas com qualquer uma de nós! É um mundo - fitício, claro - aonde a menina treinadora pode viajar por toda uma região usando a roupa que bem quiser. As treinadoras são meninas na média de dez anos, mas as Líderes de Ginásio, Membras de Elite 4, Campeãs e todas as demais classes de treinadoras possuem idades e personalidades variadas, mas praticamente nenhuma delas é hipersexualizada! A única que me recordo que no anime possui uma linha mais "fanservice" que no mangá e nas próprias artes oficiais dos jogos é a Lorelei (uma de minhas personagens favoritas, e a com quem mais me identifico, por sinal).
Mas como considero como versões originais dos personagens as dos jogos, essa é a real Lory-chan!



E assim como, de frágeis, elas têm nada! As garotas viajam sua região inteira, às vezes visitam outra região (Kris e Lyra), treinam seus Pokémon, enfrentam organizações criminosas, pedalam, patinam, Sobem montanhas e exploram cavernas, e nada é um empecilho para elas!

7 - Elas estão em todo lugar

Outra citação interessante vinda de um NPC! Sei que geral está jogando OR/AS agora, mas vamos deixar os remakes um e ir direto para os makes! Em Ruby/Sapphire dentro do prédio da Devon Co. no segundo andar, um cientista diz isto:



Tradução: Estou tentando desenvolver um aparelho que reproduza visualmente os sonhos dos Pokémon. Mas não está dando certo.

Agora voltando pra Omega Ruby/Alpha Sapphire, e voltando ao prédio da Devon, a gente encontra este carinha de novo, olha o discurso dele!


Tradução: Estou tentando desenvolver um aparelho que reproduza visualmente os sonhos dos Pokémon. E ouvi dizer que minha rival que vive longe daqui está fazendo a mesma pesquisa! Não posso perder essa corrida.

Em inglês não há flexão de gênero nas palavras, entretanto nós que já passamos por Unova antes de chegar aos remakes sabemos a quem e a o quê ele provavelmente se refere: O Dream Radar, desenvolvido pela linda da Professora Burnet!! Fennel também pesquisa os sonhos dos Pokémon, então muito provavelmente é uma das duas, a suposta rival do rapaz. O que torna isto incrível, além de falarmos sobre duas mulheres cientistas é que, se tratando de um jogo (R/S OR/AS) em que se você escolhe a May como protagonista a primeira coisa que você vai ouvir do seu rival é que você é filha de um líder de ginásio, logo deveria ser um garoto, ver um cientista ser superado por uma mulher em suas pesquisas é algo lindo de presenciar!! E vale lembrar que em Hoenn o sistema de computadores também foi desenvolvido por uma garota, a Lanette, e que sua irmã a Bridget criou o PokéBank!
E não só a Fennel e a Burnet, mas Pokémon está cheio de garotas empoderadas e talentosas em todos os ramos: há cientistas, diretora, patinadora, fotógrafa, piloto de avião, atriz, cantora, modelo... definitivamente, elas são o que elas quiserem!

8 - Unova: Uma região de mulheres

Me apaixonei por Unova desde a primeira vez em que joguei, por vários fatores: Ser 100% emancipada de Kanto (nem Pikachu você encontra no mato em Black/White 1), ser a região com a história melhor elaborada e mais envolvente de todas, ter Serperior e Stoutland, entre outros fatores. Aí você resolve analisar Unova e percebe que:

- é a única região a ter uma Professora pesquisadora de Pokémon (com o Pai dela perturbando toda hora, mais OK)
- que no mangá a Professora Juniper tem uma personalidade incrível!
- Futuramente, a assistente dessa Professora será uma garota também (Bianca)
- É a segunda região a ter um sistema de computadores elaborado por uma garota (Amanita)
- Os Dream World/Radar também foram resultados de pesquisas feitas por mulheres (Fennel e Burnet)
- No mangá as principais atrações de Nimbasa foram desenvolvidas por mulheres (White e Elesa)
- O Aeroporto de Unova pertence a uma mulher (Skyla)
- Em Black/White 2 a campeã é a linda da Iris

É uma região aonde a presença feminina é marcante e muito bem imposta. Impossível não amar Unova!

9 - A representatividade negra em personagens marcantes

É meio vago falar sobre mulheres em um viés feminista sem destacar as mulheres negras em particular!! Como branca, não tenho propriedade alguma para falar sobre a luta e resistência das mulheres negras em específico, mas como nossa postagem fala sobre mulheres em Pokémon, abro este espaço para falar sobre as personagens negras e a importância dessas meninas na série!
Até a quarta geração, as regiões de Pokémon eram regiões aonde 99% da população era branca com alguns personagens negros aqui ou lá. OK que estamos nos referindo a regiões aonde a população inteira de uma cidade são vinte pessoas, mas ainda assim, a quantidade de personagens negros é bem baixa. O interessante é que os poucos personagens negros que existem ocupam cargos na liga, seja como líder de ginásio ou membro da Elite 4. Entre eles, a linda da Phoebe.



Em Unova, isto muda um pouco. o número de treinadores aleatórios negros aumentam (inclusive as meninas Rangers), e os que ocupam lugares de destaque continuam lá. Entre eles as queridas Iris e Lenora!


Sempre quando se fala na Iris, todos se lembram da companheira de viagem do Ash, infantil, birrenta, com um Axew super fofo e com aquele Dragonite rabugento (que foi meu inferno como colecionadora, visto que por uma temporada inteira só tinha toys do Dragonite rabugento a venda). Pois é. Lendo o mangá e no modo história do jogo, é possível conhecer uma Iris tão pró-ativa e de personalidade tão forte quanto a do anime, porém com uma mentalidade não tão infantil. É a Iris que eu admiro, porque essa mocinha vai se tornar a CAMPEÃ de Unova alguns anos após os acontecimentos do primeiro Black and White. É quando você vê que uma garota, negra, vai ser a melhor treinadora daquela região inteira. E ainda como campeã, continua a ser a mesma garota simpática e pró-ativa, ajudando sempre a quem precisar e quando precisar. É uma personagem que poderia ter sido trabalhada muito melhor no anime, admito. Foi uma personagem que teve muita rejeição pelos fãs adultos da série (as crianças gostavam dela). Rejeição esta que nenhuma outra companheira de viagem do Ash teve, nem mesmo a Serena. Mas será que a rejeição da personagem foi só pelo enredo mesmo? Não sei...


Outra personagem que merece destaque é a Lenora! Porque ela é mulher, porque ela é negra, ela é gorda, porque ela usa black e usa turbante, porque ela é acadêmica, diretora de biblioteca, ela líder de ginásio, ela tem um Stoutland, tem uma bela personalidade, é de uma inteligência incrível e... é chefe do próprio marido! Lenora é o próprio empoderamento em personagem!

Enfim, não é uma franquia perfeita. Usamos só um dos mangás por referência. Outros menos famosos como o Eletric Tales of Pikachu possuem uma objetificação absurda. No anime ainda temos o Brock da primeira temporada do anime até o finalzinho de Sinnoh, quando foi substiuído pelo Cilan. O Brock no jogo e mangás é um personagem legal, mas que tornaram um machistinha babaca no anime, que não consegue passar por uma mulher sem fazer um comentário idiota. E já se foi tarde, amigo!
No geral Pokémon é uma franquia que mulheres e meninas podem jogar, podem ler, podem até arriscar assistir, sem muito medo de ser feliz. É só evitar os grupos de Whatsapp e Facebook que tenham homens como maioria! Obrigada por vocês meninas que leram até o final. Lembrando que, nossos textos são flexíveis, e sempre que acharem necessário que se adicione/modifique alguma coisa, é só nos avisar! E como mulher, a luta continua. Como fã de Pokémon, espero ver mais meninas compartilhando essa paixão comigo!

Até a próxima!
Title: Vamos falar sobre - Nove Razões porque Pokémon é uma franquia que toda garota deveria conhecer
Rating: 10 out of 10 based on 24 ratings. 5 user reviews.
Writed by ALly DizZzy -Aline Lly

1 comentários:

Isso eu concordo com você Tia Miss. Originalmente pensaram que o pokémon iria atrair mais o publico dos meninos (por isso o personagem homem nos jogos de Red e Blue) não conto o yellow, pois seria para você tentar fazer o caminho do Ash do anime. Mais com as vendas eles viram que o publico feminino tinha gostado dos jogos por isso que logo no seguinte (Silver e Gold) já era possível você escolher o sexo do seu personagem. Não vou negar que quando adquiri meus X e Y eu fiz questão de colocar 1 para ser um homem e no outro uma mulher para poder ver as possíveis diferenças no jogo. Até influenciei minha irmã a querer jogar com isso XD Até no site do Global Link do pokemon (onde faziam as trocas online) existia uma tabela onde era possível ver a % de jogadores de cada sexo. E eu realmente acho que o publico feminino esta aumentando (aos poucos) mais está. E concordo com tudo que você postou Tia Miss. Eles mostram que não tem problemas com nada pena que o episodio da imagem de James de mulher eu apenas li em um quadrinho da Nintendo Club fora que em outras aparições já mostrou ele com outras roupas de mulher e os episódios que Ash se veste de mulher eu vi e não achei nada de mais também. Novamente ótimo post Tia Miss. Espero que continue assim =]

ReplyDelete